project . 2015 - 2018 . Closed

UID/MAR/00350/2013

Centre for Marine and Environmental Research
Fundação para a Ciência e a Tecnologia, I.P.
Funder: Fundação para a Ciência e a Tecnologia, I.P.Project code: UID/MAR/00350/2013
Funded under: 6817 - DCRRNI ID Funder Contribution: 200,000 EUR
Status: Closed
01 Jan 2015 (Started) 31 Dec 2018 (Ended)
Description
Assuming that human well-being relies on the services provided by healthy functioning natural systems, any changes induced to the structure of a system have direct and indirect effects on human welfare. Many of the interrelations existing between system functioning and the provision of services still require conceptual framing, quantification and modeling of virtualized spatial units . Therefore, it becomes fundamental to understand the complex and intricate relations in estuarine ecosystems, among physical, chemical, geological, ecological, social and economic factors, which are fundamental in designing and implementing management policies and the need for ecosystems restoration, from land to the coast and onshore. Answering to the challenges of science based governance across the continental margins CIMA will follow the “think globally –act locally” principle. In the five year period 2015-2020 the Centre will pursue its activities under an integrating topic defined as: “RECORDS, AND MODELS OF PROCESSES IN MARINE, COASTAL AND WATERSHED SYSTEMS AND THE ASSOCIATED TECHNOLOGICAL DEVELOPMENTS”. The activities are of 4 types: i creating new experimental knowledge which will be either published or presented in form of patents ii training the postgraduate students, at both MSc and PhD levels, and integrating them in consortia with academic and/or private institutions iii developing and testing new techniques and technologies iv transferring the knowledge in form of expert services, management support tools and educational applications. Being a small/medium size, multidisciplinary unit, CIMA must rely more on the idea of “smart activation energy” rather than “critical mass”. Indeed our past experience has shown that adapting the collective human potential to scientific ideas and jointly set operational goals brings better results than maintaining rather static “groups” in which the goals are implemented in a top-bottom way. Consequently CIMA will organize its investigation program around the following 4 Research Nodes and 15 Key Research Tasks: I MARINE AND TRANSITIONAL AQUATIC PROCESSES a Chemical and physical system connectivity b Microbial dynamics and foodwebs c Models and measurements of transfer phenomena d Ecohydrology in transitional zones II System Management and Integrative Activities a Ecosystem approach to estuarine and coastal management b Forecasting and mitigation of catastrophic events c Building a science-policy interface for the governance of coastal social-ecological systems III Multiscale Geological Processes Across the Ocean Margins a Coastal and marine morphodynamics b Local records and proxies of global forcings c Basin analysis IV Hazards Assessment and Technology for a Changing Environment a Stressors – old and new threats b Biomarkers and environmental quality indices c Triggers of toxicity and pathogeneicity d Technology for energy harvesting Every integrated researcher may contribute to more than 1 node in terms of output and task fullfilment using best of her/his skills/capacities applied in study of operationally discerned systems/territorial targets. Gathering, integrating and editing knowledge on territorial units, at the source of information will contribute to a better better accessibility and applicability of information by their prospective end users and the local communities in general. The overarching rationale applicable to that activity will be based on 4 step approach of conceptualization-observation/measurement-modelling-focasting-output . When involving stakeholders/endusers related to the analysed system, such a 4 step procedure may be adapted into the process of integrated, science based, management feedback loop. While continuing its multidisciplinary approach to the study of ocean-continent interface along the South Iberian Margin, the Centre’s Scientific Commission is fully aware of the necessity to adapt our strategy to the period of tougher competition for the research funds and to couple the research outcomes to the needs of the potential end users, both private and government. The Centre will therefore put a lot of emphasis on diversification of the prospective funds from European, International and private sources. Even if only about 30% of our activity may be considered as of applied character a grooving effort will be undertaken to narrow the gap between academic research and the potential users of its ourcome. That approach will be also extensible to the advanced training PhD and MSc programs, in which CIMA will participate at the national and international levels. Hence a special attention will be given to enhance the convergence of dissertation topics with the real challenges facing economy and/or governance sectors at regional, national and international levels. Centre’s capital of working relations with private and public entities in Algarve will play a very important role in implementation of that strategy. Publishing of scientific results in the high quality international peer reviewed journals and books will continue to be the principal indicator of the centre’s performance. Likewise editing of the International Journal of Coastal Zone Management will be of utmost importance for our visibility and role in the academic community of Portuguese speaking countries. For both training and research, maintaining of our participation in thematic networks across the national scientific system, international programes like UNESCO - IGCP, LOICZ, PAGES, Europe and Portuguese speaking countries will be of crucial importance in the implementation of work plan. CIMA will accomplish the international mission in strict collaboration with the UNESCo’s International Centre of Ecohydrology, to which it is coupled in operational and organizational sense. Partindo do princípio de que o bem-estar humano assenta nos serviços oferecidos por sistemas naturais que funcionem corretamente, quaisquer alterações na estrutura desses sistemas têm repercussões diretas e indiretas no bem-estar humano. Muitas das interrelações que existem entre o funcionamento dos sistemas e os serviços por eles fornecidos, exigem ainda conceptualização, assim como a quantificação e modelização das unidades espaciais virtualizadas. Torna-se portanto fundamental entender as complexas e intrincadas relações nos sistemas litorâneos, de entre os fatores ambientais, sociais e económicos, que são essenciais para conceber e implementar políticas de gestão. Respondendo aos desafios da governança baseada no conhecimento científico das margens continentais, o CIMA seguirá o princípio “pensar a nível global – agir a nível local”. No quinquénio 2015-2020, o Centro prosseguirá as suas atividades subordinadas ao tema. “REGISTOS E MODELOS DE PROCESSOS EM SISTEMAS MARINHOS, COSTEIROS E BACIA DE DRENAGEM E A CORRESPONDENTE EVOLUÇÃO TECNOLÓGICA”. As atividades são de 4 tipos: i criação de novos conhecimentos experimentais que serão publicados como artigos ou apresentados em forma de patentes ii formação de estudantes a nível de mestrado e de doutoramento, iii desenvolvimento e testagem de novas técnicas e tecnologias iv transferência do conhecimento sob a forma de pericias, instrumentos de apoio à gestão e aplicações didáticas. Sendo uma unidade de pequena/media dimensão e multidisciplinar, o CIMA deve basear-se mais na ideia de “energia de ativação inteligente” e não de “massa crítica”. De facto, a nossa experiência anterior demonstrou que a adaptação do potencial humano coletivo às ideias científicas e a fixação conjunta de objetivos operacionais produz melhores resultados do que manter grupos relativamente estáticos nos quais os objetivos são implementados do topo para a base. Por conseguinte o CIMA organizará o seu programa de investigação em torno de 4 núcleos de investigação e 15 tarefas principais investigação: I PROCESSOS AQUÁTICOS MARINHOS E EM ZONAS DE TRANSIÇÃO a Conetividade do sistema químico e físico b Dinâmica microbiana e redes tróficas c Modelos e medidas dos fenómenos de transferência d Ecohidrologia em zonas de transição II GESTÃO DOS SISTEMA E ATIVIDADES INTEGRADAS a Abordagem sistémica da gestão estuarina e costeira b Previsão e atenuação dos eventos catastróficos c Criação de uma interface entre a ciência e a gestão territorial III PROCESSOS GEOLÓGICOS MULTI-ESCALA ATRAVÉS DA MARGEM CONTINENTAL a Morfodinâmica costeira e marinha b Registos locais e proxys dos forçadores globais c Análise das bacias IV AVALIAÇÃO DOS RISCOS E TECNOLOGIA PARA UM AMBIENTE EM MUDANÇA a Estressadores – antigas e novas ameaças b Biomarcadores e índices de qualidade ambiental c Desencadeadores de toxicidade e patogeneicidade d Tecnologias para captação de energia Cada investigador integrado pode contribuir para mais de um núcleo em termos de resultados e de cumprimento das tarefas utilizando o melhor das suas competências/ capacidades aplicadas nos estudos dos sistemas discriminados para efeitos operacionais/ objetivos territoriais, A recolha, integração e edição dos conhecimentos sobre as unidades territoriais na fonte da informação contribuirá para uma maior acessibilidade e aplicabilidade da informação pelos futuros utilizadores finais e pelas comunidades locais em geral. A fundamentação integradora aplicável a essa atividade será baseada numa abordagem em 4 fases de conceptualização – observação/ medição – modelização – previsão – resultado. Ao envolver as partes interessadas/ utilizadores finais relacionados com o sistema analisado, esse processo em 4 fases pode ser adaptado num processo de gestão participativa apoiada no conhecimento científico integrado. Ao prosseguir a sua abordagem multidisciplinar do estudo da interface oceano – continente ao longo da margem sul ibérica, a Comissão Científica do Centro está plenamente consciente da necessidade de adaptar a nossa estratégia a um period de concorrência mais dura no que diz respeito aos fundos de investigação e de associar os resultados da investigação às necessidades dos potenciais utilizadores finais, tanto privados como estatais. O Centro prestará portanto especial atenção à diversificação dos fundos prospetivos de fontes europeias, internacionais e privadas. Apesar de apenas cerca de 30% da nossa atividade pode ser considerada de caráter aplicado, será desenvolvido um esforço crescente no sentido aproximar o trabalho académico e os utilizadores potenciais dos resultados de investigação. Essa abordagem será igualmente extensiva aos programas de formação avançada nos quais o CIMA participa a nível nacional e internacional. Por isso será prestada uma atenção especial ao reforço da convergência dos tópicos de dissertação com os desafios que se deparam aos setores da economia e/ou da governança. O capital de relações de trabalho do Centro com entidades públicas e privadas desempenhará um papel muito importante na implementação dessa estratégia. A publicação em revistas internacionais de alta qualidade de resultados científicos, com revisão pelos pares, continuará a ser o principal indicador do desempenho do Centro. De igual modo, a publicação da Revista de Gestão Costeira Integrada será de maior importância para a nossa visibilidade e papel na comunidade académica dos países de língua portuguesa. Tanto no que diz respeito à formação como à investigação será de importância crucial para a implementação do plano de trabalho manter a nossa participação em redes temáticas em todo o sistema científico nacional, europeu e dos países de língua portuguesa, em programas internacionais como o IGCP UNESCO, LOICZ, PAGES. O CIMA cumprirá a sua missão internacional em estreita colaboração com o Centro Internacional de Ecohidrologia da UNESCO, ao qual está associado no sentido operacional e organizacional.
Partners
Data Management Plans